28

Maio

21h30

Ghorwane

Fundado em 1983, o sucesso do grupo moçambicano Ghorwane deve-se, em parte, à sonoridade enérgica e alegre que mistura diferentes ritmos moçambicanos e que contrastava com o ambiente em que o país vivia na época.

O acti­vismo cívico, a consciência política crítica, a ousa­dia e a fron­ta­li­dade das letras das suas canções leva­ram a que a banda fosse ape­li­dada de Bons Rapa­zes por Samora Machel.

Em 1990, gra­va­ram Maju­ru­jenta, o pri­meiro álbum da banda, após o con­vite de Peter Gabriel para par­ti­ci­par no fes­ti­val WOMAD e gra­var nos estúdios Real World Records, em Inglaterra.

O grupo con­ti­nua a ser con­si­de­rado um dos mais impor­tan­tes do país, con­se­guindo manter-se activo ape­sar de ter per­dido de forma trágica dois dos seus mem­bros fun­da­do­res: Zeca Alage e Pedro Langa. Em Lis­boa, e após 32 anos de valorização dos rit­mos afri­ca­nos e da cul­tura moçambicana, sobem ao palco o líder do grupo Car­los Gove (baixo e composição), Roberto Chit­sondzo (voz e composição), Muzila Mulembe (saxo­fone), António Baza (trom­pete), Júlio Baza (trom­pete), tony Paco (percussão), Jorge Salomão (teclado), António tcheko (bate­ria) e Sheila Max­lhungo (voz).